Álbum marcante de Gal Costa, ‘Fa-Tal’ ainda soa preciso em 2021, 50 anos após a edição do LP duplo de 1971

  • Álbum marcante de Gal Costa, ‘Fa-Tal’ ainda soa preciso em 2021, 50 anos após a edição do LP duplo de 1971

    36-3

    MEMÓRIA – Título mais marcante da discografia de Gal Costa, o originalmente duplo álbum Fa-Tal – Gal a todo vapor é o registro sem filtros de show carioca de 1971 que consolidou a cantora baiana como a voz da contracultura brasileira, a musa de verão engajado e de público que cultuava o desbunde enquanto respirava pelas frestas de ditadura que asfixiava as liberdades de expressão por meio do Ato Institucional nº 5, decretado em 13 de dezembro de 1968.

    Lançado três anos depois do AI-5, em dezembro de 1971, em formato de LP duplo com capa que se abria para a exposição de poemas e palavras de ordem de Waly Salomão (1943 – 2003), o álbum Fa-Tal – Gal a todo vapor foi facho de luz na escuridão do Brasil de 1971 e, por isso, ainda faz sentido e soa preciso em 2021, 50 anos após o lançamento.

    Poeta, compositor e agitador cultural, o efervescente Waly foi o diretor do show estreado em 8 de outubro de 1971 no Teatro Tereza Raquel, point badalado da zona sul da cidade do Rio de Janeiro (RJ), e captado no meio da cultuada temporada – que se estenderia, com pequenos intervalos, até fevereiro de 1972 – pela gravadora Philips sob a batuta de Roberto Menescal.

    Então diretor artístico da companhia fonográfica que concentrava as maiores estrelas da MPB no alvorecer dos anos 1970, Menescal percebeu a dimensão política do show e bancou a edição do LP duplo, formato então ainda raro na discografia brasileira.

    Intitulado Gal a todo vapor (o Fa-Tal foi incorporado ao nome do disco, sendo título de um dos poemas incluídos no então ainda inédito livro Me segura q’eu vou dar um troço, editado por Waly em 1972), o show foi consequência natural da transformação da cantora na porta-voz dos anseios da turma tropicalista que se sentiu sem liderança com a partida de Caetano Veloso e Gilberto Gil para exílio forçado na Europa a partir de janeiro de 1969